As Praticas

 

Aos que buscam paz de espírito e elevação da consciência

 

"Somente uma prática regular e cotidiana (sadhana) permite a elevação da consciência para atingir liberação e realização".

Śri Tathāta propõe aos iniciados um esquema de prática adaptado (sadhana) a cada nível de iniciação, esta prática é pessoal e oferece ao sadhaka (pessoa que faz a prática), a possibilidade de atingir o mais alto nível de realização da sua alma.

 

Ele ensina práticas específicas permitindo nos purificar em profundeza, se elevar em consciência, nos unirmos com a Natureza e seus ritmos, e desenvolver uma relação em harmonia com o mundo. Ele inicia igualmente a um pranayama único, que acelera o caminho em direção da realização do Ser.

 

A todas as pessoas, ele propõe uma curta meditação em momentos oportunos; para começar um trabalho de conexão à energia divina durante as conjunções e também praticar a recitação do mantra da Gayatri.

 

  • As conjunções

 

Conjunção, em sânscrito sandhya vandana, é um ritual védico, feito a certos momentos precisos do dia, nos quais a presença Divina se manifesta no mundo terrestre de forma particularmente intensa. Durante cada um destes momentos, a Presença Divina vem ao encontro de cada alma.

Estes momentos se produzem cinco vezes ao dia, e o segredo consiste em se conectar neste instante preciso.

  1. A primeira é Brahma muhurt, 2h e 55 antes do raiar do sol.

  2. A segunda é ao raiar do sol, começando quando o céu a leste começa a se avermelhar e termina quando o sol está completamente levantado.

  3. A terceira começa alguns minutos antes do ápice do sol e termina alguns minutos depois, meio-dia solar.

  4. A quarta começa alguns minutos antes do por do sol e termina quando a última luz do dia está prestes a desaparecer.

  5. A quinta ocorre no ápice da noite, meia-noite solar.

Nestes momentos devemos acolher conscientemente esta Presença dentro de nós. Para fazê-lo, começamos para fechar os olhos e relaxar, em seguida entoar três vezes (ou sete vezes) o mantra o. Com a consciência no nível do terceiro olho, ajna chakra, permitimos a Luz se difundir em nossos três corpos. Finalizar com o mantra o shanti (paz) três vezes.

 

  • Gāyatrī

 

O mantra da Gāyatrī (Ṛig-veda II-62-10) pode ser considerado por entre todos os mantras védicos como o mais importante. Na tradição ele era transmitido secretamente de mestre a discípulo, no dia da iniciação. Hoje ele se tornou publico, com a ideia que sua recitação pode ajudar inúmeras pessoas.

É um mantra de iluminação para o qual existem varias traduções. Nós propomos uma, adaptada de um ensinamento de Śrī Tathāta de 5 de agosto de 2011:

Possam nossos três corpos de base (físico, energético e mental) se reconectarem aos planos superiores do universo;

Possa a energia do sol, despertar em nós a energia do Supremo (do qual ela é o reflexo);

Nós convidamos através da meditação o esplendor radiante a nos divinizar

Até a inteligência divina, a plena iluminação.

 

  • Práticas védicas

O ensinamento vivo de Śrī Tathāta tira sua origem diretamente da sabedoria védica legada pelos grandes Rishis dos tempos antigos. Sua motivação sempre foi revelar a natureza divina dos seres humanos e leva-los até o mais alto nível de desenvolvimento espiritual, sem distinção de crença ou origem.

As pessoas que seguem o Dharma para atingir a vida Divina adotam também as práticas védicas como um modo de viver nobre cotidianamente.

Estas práticas incluem:

-Sandya Vandana (saudação de toda a criação, começando pelo sol);

-Sandya Upasana (a meditação das conjunções);

-a benção dos alimentos;

-a Sadhana (conjunto de exercícios: respirações, meditação);

-Recitação de hinos e mantras védicos.

 

Estas práticas védicas ajudam a dissolver os véus sutis que limitam a consciência humana, trabalhando sobre a matriz de todos os sofrimentos e males, permitindo assim a harmonia e a paz de crescerem em todos os níveis.

O caminho proposto pelo vedismo para o progresso da consciência é infinito: crescendo de etapa em etapa, ela pode se elevar até atingir a plena consciência do ser imortal.