As iniciações

 

Sri Tathāta, nos explica que o ser humano é, aos olhos da Mãe Divina, o ser mais nobre da criação. Esta nobreza vem da nossa capacidade de nos conectarmos com a Luz Divina e trazer esta Luz para nós mesmos e para Terra, para distribuí-la a toda à criação.

Esta nobreza vem do fato que é dado ao ser humano a possibilidade de atingir a realização em todos os níveis do ser até atingir a imortalidade.

O objetivo da natureza é a Divina perfeição.

Nos tempos antigos, os Rishis e os mestres transmitiam o conhecimento sagrado de ātmavidya (método que é um caminho direto ao conhecimento da alma) aos discípulos que tinham crescido perto deles e que tinham integrado os princípios e o modo de vida dharmico. Quando o Dharma começou a declinar sobre a Terra, este grande conhecimento começou a desaparecer.

Para restabelecer o conhecimento sagrado do Dharma sobre a Terra é necessário transformar a mente humana em consciência divina, e isto só pode ser feito através de ātmavidya.

É com este objetivo que Sri Tathāta da duas iniciações:

 

  • Dharma snana

Em prelúdio ao conhecimento espiritual uma etapa preliminar deve ser ultrapassada: a purificação dos três corpos (físico, prânico e mental). Este é o objetivo de dharma snana. Os que desejam receber esta iniciação devem ter uma vida virtuosa e alimentar-se de maneira pura, devendo renunciar completamente a todos os hábitos alimentares ou outros que sejam obstáculos à abertura da consciência.

Os candidatos à iniciação dharma snana devem abster-se completamente de consumir álcool, carne, peixes, ovos, tabaco e drogas. Após a iniciação, uma prática espiritual cotidiana é ensinada. Ela inclui técnicas de respiração (prānāyāma), recitação de mantras (mantra japa) e meditação (dhyāna). O objetivo desta prática é liberar a pessoa das impurezas acumuladas no corpo físico e nos corpos sutis, para que ela seja capaz de integrar o dharma em sua vida. Esta prática realizada diariamente é muito eficaz.

Aqueles que observam as regras de pureza e são assíduos na prática, são rapidamente elevados a um estado de ser além do que esperavam ou mesmo do que imaginavam.

 

 

  • Agni snana

Através agni snana a alma individual é reconectada à Alma Universal, recebendo o Conhecimento; o prâna é despertado e reorientado de maneira a dirigir-se para cima e assim, unir-se à Verdade absoluta para se fundir nela e trazer a Luz suprema para seus três corpos e para a Terra. Isto é o principio de agni snana. O ser, assim regenerado, conhece um novo nascimento.

Todos os que decidiram atingir o objetivo da vida praticando os nobres princípios do Dharma e fazendo as práticas espirituais associadas, podem vir ao Mestre para que esta porta se abra.

Para todos os que recebem agni snana é oferecida uma pratica na qual o movimento ascendente do prâna pode entrar em contato com a Verdade absoluta.

É por três nascimentos sucessivos que nossa alma atinge a sua integralidade. O primeiro é através do ventre da mãe. O segundo através do mestre, com o nascimento espiritual. O terceiro nascimento do homem é o da ascensão à Consciência absoluta.

Aquele que se tornou dvija (nascido duas vezes) e que progride vivendo na prática constante do Dharma recebe do próprio Divino a graça de um novo renascimento. Entrando assim na vida divina e na beatitude que a caracteriza.