O Dharma

 

"O objetivo da Natureza é a Divinização perfeita, a Mãe natureza é movimento perpétuo em direção à perfeição. Nós devemos entender esta verdade da Natureza para levarmos nossa vida de acordo com isto"

Isto é o Dharma.

"O Dharma é o caminho que o homem deve percorrer para cumprir o propósito da vida, o principal dever do ser humano é alinhar sua vida em sintonia com o propósito da criação."

 

 

O Dharma é a verdadeira essência da vida humana no plano terrestre. É a energia que sustenta. É a base de tudo para que tudo exista numa ordem bem definida. O Dharma pode ser considerado como esta ordem.

Nós podemos entender isto de modo simples. Por exemplo; na semente dorme uma árvore, ela está na semente. As flores, os frutos, as folhas, tudo já está contido dentro. A árvore inteira está escondida na pequena semente. Como ela cresce? Ela sai progressivamente, cresce e o tronco se desenvolve. As folhas, as flores e os frutos aparecem com alegria. Tudo isto acontece.

Da mesma forma, a alma humana pode florescer, ela pode se realizar. Para nós, a semente é a energia escondida na nossa alma. Esta energia é o Dharma. Se nós desenvolvemos esta semente de energia, ela vai crescer e realizar o objetivo da nossa vida. O Dharma é o processo através do qual o florescimento da vida humana pode ser atingido. Atualmente a semente está prematura. O Dharma é o método pratico, através do qual a semente que se encontra dentro do ser humano pode se desenvolver, crescer e atingir o propósito final da vida.”

O papel do ser humano é de viver segundo o Dharma, tornar-se o próprio Dharma.

 

  • Dharma para todos

 

“Existe uma diferença entre religião e espiritualidade. Os ensinamentos do Dharma deixados pelos Rishis – místicos visionários da Índia - não eram uma religião. Dharma é outra palavra para qualificar a “Realidade final”. Neste sentido, os ensinamentos dos Rishis eram universais. As religiões, ligadas a uma cultura, servem de intermédio entre os seres e a Realidade final. Mas o Dharma transcende todas as limitações, culturas e religiões, abrindo a uma consciência divina infinita. O Dharma está além de todas as categorias, ele é destinado a toda a humanidade. Um muçulmano, um judeu, um católico, pode seguir o caminho do Dharma sem negar sua religião. A evolução da consciência passa por esta pratica universal do Dharma. Quando praticamos o Dharma, acedemos aos mais altos níveis de consciência. O Dharma é um canto escrito para todos. Não existe um Dharma indiano ou francês! A Realidade final deve ser pensada como um Todo. Neste nível de consciência, todas as diferenças de cultura ou de religião desaparecem. O Dharma é Um. A Realidade final é Uma. A Verdade é Uma. A Felicidade final é Uma.”  Śri Tathāta

 

 

  • Dharma sutras

 

Os Dharma Sutras são um conjunto de 49 versículos sagrados, que renovam nossa compreensão do Dharma. Este tratado nos ensina de forma pratica as diferentes etapas para atingir e integrar o divino em todos os aspetos da vida.

Śri Tathāta os recebeu diretamente do Divino e os revelou ao mundo dia 21 de janeiro de 1991 em Sarnath, perto de Benares.

Śri Tathāta nos diz que nossas almas aspiram por uma vida divina. Ele nos fala da necessidade de tomarmos consciência desta aspiração e de impregnar nossas vidas dela.

Uma grande parte da humanidade está atualmente pronta a tomar o caminho que leva ao cumprimento do propósito da vida sobre a Terra, sem que seja necessário tornar-se asceta.

Śri Tathāta afirma, como o Cristo, que é durante nossa vida encarnada que a transformação deve ocorrer. Nós devemos nos unir com a Luz para melhor difundi-la em todos os aspetos da nossa vida e em toda a criação.

Os Dharma Sutras nos ensinam como.

 

"Aqueles que são capazes de integrar em suas vidas as etapas descritas nos Dharma Sūtras podem transformar suas vidas em uma celebração." Śri Tathāta